“Tendo Jesus navegado outra vez para a margem oposta, de novo afluiu a ele uma grande multidão. Ele se achava à beira do mar, quando um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo, se apresentou e, à sua vista, lançou-se-lhe aos pés, rogando-lhe com insistência: Minha filhinha está nas últimas. Vem, impõe-lhe as mãos para que se salve e viva.”
(Marcos 5:21-23)

“Procrastinação”, uma palavra pouco usual, mas que descreve com precisão nosso modo de viver contemporâneo. Procrastinar é simplesmente a prática de postergar atitudes ou decisões, adiar, deixar para depois… A bem da verdade, todos nós estamos diariamente perdendo a quebra de braço na luta contra o tempo e o acúmulo de atividades, volta e meia precisamos escolher qual das urgências resolveremos e quais serão procrastinadas, elegemos prioridades dentro do que consideramos emergência e assuntos “menos importantes” são deixados para depois…
Certa feita Jesus estava numa região à margem do mar da Galileia, onde já havia estado outras vezes, quando lhe apareceu um importante homem chamado Jairo, um chefe da sinagoga, desesperado, se jogando ao chão e pedindo misericórdia pela sua filha que estava à beira da morte… Como dito, não era a primeira vez que Jesus ali estava, a Bíblia deixa claro que naquele exato lugar ele estava “outra vez”, por que, então, aquele homem aguardou que sua filha estivesse “nas últimas” para procurar Jesus? Por que esperou tanto?
A negligência daquele homem causa revolta em qualquer leitor atento, deixar para depois a atitude que pode evitar que um grande mal aconteça na vida da própria filha é loucura! Loucura que todos os dias cometemos, uma insanidade comum e quase involuntária na maioria das pessoas, somos viciados em procrastinar a solução de problemas que deveriam ser prioridades, temos sempre algo mais importante a fazer do que repensar o comportamento no local de trabalho, ajustar a vida espiritual, reconciliar com quem feriu, dar mais atenção aos filhos, dizer palavras de amor à esposa, perdoar, orar… O que estamos sempre esperando acontecer para priorizar o que é mesmo importante? Não sei se a filha de Jairo começou sentindo apenas uma dor de cabeça, uma falta de ar, uma simples tontura, mas sei que ele só buscou a Jesus quando ela estava “nas últimas”, quando a morte era iminente e o desespero tomou conta da família.
Por que esperar sua situação ficar “nas últimas”? Por que razão buscar a Deus apenas quando sua vida espiritual estiver moribunda?
Assim como estava na Galileia, Jesus está “outra vez” disponível para cada um de nós, pronto a nos acolher e a ouvir aqueles que se lançam aos seus pés. Costumamos dizer que devemos sempre estar de pé e que não podemos “cair” jamais, contudo, Jairo caiu aos pés de Cristo, se humilhou… Um príncipe da sinagoga aos pés de um carpinteiro!
Diante de Jesus, só nos resta a postura de Jairo, cair aos seus pés e reconhecer que somos nada, mas que Ele é Tudo! Se estiver caindo, caia perto de Jesus, pois Ele o porá de pé!
Jesus ouviu o pedido de Jairo e aceitou ir à sua casa. Provavelmente Jairo queria puxar Jesus pelo braço, trazer um de seus cavalos, até mesmo levar Jesus no colo para que chegasse mais rápido, pois o tempo era seu adversário, mas Jesus caminhava no seu próprio ritmo, com seus discípulos e uma multidão em volta, e, no meio do caminho ainda parou e atendeu uma mulher, que, sem pedir licença, se intrometeu e puxou seu vestido.
Que cena incrível, uma mulher com uma hemorragia – e que, até então, não tinha entrado na história – simplesmente toca por trás na borda da roupa de Cristo e, por milagre, é curada de uma doença que sofria há 12 anos! Todos se impressionaram, que grande poder aquele simples carpinteiro teria! Todo mundo se maravilhou… Menos Jairo, sua filha estava cada vez mais doente e o tempo passava contra ele, uma mulher que acabara de entrar na história recebia um milagre, mas ele permanecia em desespero!
Inveja, recalque, auto piedade, sentimento de injustiça… Difícil nominar, mas é certo que muitos se frustram ao verem a felicidade alheia, ao constatarem que milagres “acontecem na vida de todo mundo”, mas na sua casa permanece uma menina moribunda. A questão é que Jesus é dono do tempo e do modo, e nisto repousa nossa dificuldade de compreensão!
Quando criança, como morava em bairro com muitas casas, adorava a leviana brincadeira de tocar campainhas, ou bater em portas e correr em seguida (particularmente, gostava mais de casas de idosos, pois demoravam até chegar ao portão, dando-me tempo necessário de correr e não ser visto na rua, pois eu era mais rápido do que eles). Antes de me condenar pela malandragem dos tempos de infância, reflita na postura espiritual que todos os dias toma… Jesus aconselha dizendo “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta” (Lucas 11:9), mas estamos sempre batendo e correndo em seguida… Pedindo e saindo antes da resposta, tocando a campainha, mas correndo de Jesus, afinal, somos mais rápidos (leia-se, precipitados) do que ele.
O estigma da bipolaridade – Adiamos o quanto podemos a busca ao Senhor, mas não temos paciência para esperar sua resposta! Paulo diz que devemos nos alegrar nas tribulações, “porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança produz um caráter aprovado; e o caráter aprovado produz esperança” (Romanos 5:3,4), e hoje todos buscam esperança… Esperança para a família, o casamento, o namoro, a faculdade, uma porta de emprego, o futuro… Mas tudo começa na tribulação, passa pela perseverança, molda o nosso caráter, e nos faz entender que Cristo em nós é a esperança da Glória (Colossenses 1:27).
Como se a situação já não estivesse ruim o suficiente, em seguida chegaram alguns conhecidos e deram a notícia estarrecedora, “sua filha morreu, não incomode mais ao Mestre!”, mas, tomado por completo desespero, Jairo ouviu Jesus, de imediato, dizer, “não tenha medo, apenas creia”…
A quem você ouviria? Ou melhor, a quem você ouve todos os dias?
Frequentemente ouvimos promessas, conselhos, desafios, palavras de pessoas que nos cercam e que normalmente vão de encontro ao que ouvimos de Jesus. Talvez hoje você sofra magoada pela traição de alguém, e agora ferida, angustiada e desolada, o seu coração, seus amigos, seus familiares aconselharam: “Vingue-se!”, mas Jesus diz, “perdoe”… A quem você escuta? Pela quinta vez você perdeu no vestibular, acabou de ser demitido, enfrenta o término de um relacionamento, se desviou e caiu em pecado… e a sua consciência e coração lhe acusam e dizem que não tem mais jeito, mas Jesus insiste em dizer: “não tenha medo, apenas creia!” a quem você está escutando?
Jairo ouviu a Jesus e perseverou no propósito de crer! No entanto, ao chegar na casa de Jairo, havia pessoas que, incrédulas, riam do propósito de Cristo, que insistia em dizer que aquela menina que todos viam morta, estava apenas dormindo. Imediatamente, antes de orar e de qualquer outra coisa, Jesus ordenou que aquelas pessoas saíssem da casa, pois atrapalhavam a sua operação. É possível que haja no seu coração o desejo sincero e ávido de receber um milagre de Deus, mas a possibilidade de ele realmente acontecer lhe é tão improvável que chega a ser risível… Jesus não pode operar em meio a essa incredulidade, antes de fazer qualquer coisa em sua vida, ele determina que se expulse a incredulidade do seu coração! Um casamento desfeito, uma vida espiritual destruída, planos abortados, para Deus são como meninas que dormem, Ele pode tudo, mas a questão é, você acredita nisso? Crê a ponto de permanecer e não desistir de seguir a Cristo?
Além disso, não adianta tratar a ação espiritual de Deus como uma brincadeira, o céu é real, milagres são reais, mas o inferno também será! Muitos ouvem falar do amor de Deus e do seu propósito de resgatar o homem da morte e acham que é uma história lúdica, uma piada… Não é! Leve a sério a sua vida espiritual, Jesus não agirá em sua vida enquanto houver no seu coração alguém rindo dos propósitos divinos!
Depois de expulsar a incredulidade e atribuir a seriedade à sua obra, Jesus tratou de consolar o coração de Jairo, bastou dizer a menina “levanta!”, uma palavra apenas, e Jairo percebeu como era fácil para Jesus transformar a sua luta em vitória, seu choro em riso, a morte em vida.
Jairo certamente pensou em quantas oportunidades havia desperdiçado de resolver facilmente o problema, Jesus havia estado por perto várias vezes, mas somente quando a sua filha estava moribunda ele decidiu buscá-lo. E você, por que tanto deixa para depois? O dia de perdoar, de dar amor, de reconciliar, de estender a mão, de voltar para os braços de Deus é hoje, o tempo é um rolo compressor e não volta atrás, cada minuto é decisivo… Mas, se você já perdeu muito tempo e sente que já não há mais jeito, não tenha medo, apenas creia, se lance em Jesus, ele está “outra vez” disposto a colocá-lo de pé!
Em Cristo, o juiz dos desesperados.

Saulo Daniel Lopes
saulo_daniel@hotmail.com

Comentários

Comentários

Comentários

Comentários

© Copyright - JesusCopy