Um dia Jesus estava comendo na casa de Levi, um homem que trabalhava como cobrador de impostos. Esta função era muito mal vista pelos judeus, pois eram homens que traíram seu próprio povo, trabalhando para o inimigo, Roma. Eles eram considerados corruptos e opressores. Jesus estava sentado na mesa, jantando com eles. E entenda, estar à mesa com alguém, tinha um simbolismo muito grande naquela época. Significava: eu me associo a você; quero dividir minha vida com você (comida era vista como vida).

Os religiosos começaram a murmurar sobre aquela situação: “Por que ele come com cobradores de impostos e pecadores?” (Marcos 2: 16). Foi quando Jesus, ouvindo a reclamação deles (me permita imaginar essa parte), gritou lá de dentro para os fariseus e mestres e lei ouvirem: “As pessoas saudáveis não precisam de médico, mas sim os doentes. Não vim para chamar os justos, mas sim os pecadores.” (Marcos 2:17)

Eu me lembro que um dia estava meditando sobre este texto e orei: “Senhor, eu quero te ter na minha mesa. Eu quero que o Senhor compartilhe vida comigo”. Foi quando senti o Espírito Santo ministrando minha vida através desta passagem: “Então entenda o quão doente você está, o quão pecador você é. Pois só precisa de um salvador na mesa, quem reconhece que está perdido.”

Enquanto não reconhecermos o tamanho da nossa doença, não receberemos o médico dos médicos em nossa mesa. Ficaremos com os fariseus, assistindo do lado de fora a festa da graça de Deus. Agora, se Jesus veio para os doentes, que doença é essa?

UMA DOENÇA NO CORAÇÃO

As escrituras chamam esta doença (terminal) de PECADO. Mas o que é pecado? A palavra original no grego é hamartia que significa “errar o alvo”. Entretanto, mesmo essa definição não é suficiente, pois a pergunta que surge é: “Qual é o alvo? Onde temos que acertar?”

Segundo as Escrituras, acertar o alvo é obedecer a lei de Deus. João define pecado da seguinte forma: Todo aquele que pratica o pecado transgride a Lei; de fato, o pecado é a transgressão da Lei (1 João 3:4). Ou seja, para João, “errar o alvo” é desobedecer ao que Deus ordenou. Agora, o que é a Lei?

Um dia um mestre da lei se aproximou de Jesus e perguntou: “qual o mandamento mais importante de todos?” Respondeu Jesus: “O mais importante é este: ‘Ouve, ó Israel, o Senhor, o nosso Deus, o Senhor é o único Senhor. Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças’. (Marcos 12: 29,30)

Jesus cita o texto de Deuteronômio 6:4-5 para afirmar: “Acertar o alvo é amar a Deus acima de todas as coisas e com tudo que temos. Significa preferi-lo mais do que qualquer coisa criada, é Ele ser a fonte principal da sua satisfação.” Por isso, se você não o ama acima de tudo, não o prefere mais que tudo e não o tem como fonte da satisfação da sua vida, você errou o alvo. Você tem a doença terminal, o pecado.

O que nos coloca em uma grande emboscada. Pois amar é uma reação do nosso coração em relação a algo ou alguém, porém não mandamos em nossos corações. Imagine que eu chegasse para um torcedor fanático de um time de futebol e desse uma ordem: “Pare de preferir seu time e comece a preferir o time rival”. Caso eu o ameaçasse ou prometesse uma grande recompensa, ele talvez conseguiria fingir externamente. Ele poderia comprar uma camisa do time rival, aprender o hino e ir ao estádio assistir os jogos, mas em seu coração, ele não teria como atender meu pedido.

O alvo que temos que temos que acertar é o de preferir a Deus acima de todas as coisas. Porém isso é impossível de ser feito, pois não mandamos em nosso coração. Assim como aquele torcedor, você pode mudar suas roupas, aprender os hinos, frequentar um local de culto, ler a Bíblia, mas o que realmente importa para Deus, você não tem a capacidade de mudar, seu coração.

Há apenas uma solução. Se este Deus, que nós não conseguimos amar, nos amasse primeiro. E foi exatamente isso que Ele fez. O Pai olhou para dentro de nós e enxergou nosso coração, que prefere qualquer outra coisa acima dele, e decidiu: “Eu vou amá-los da forma que eles estão.”

A única forma de vencer o pecado é crer no Evangelho. Mas entenda, o Evangelho não é uma lista de regras ou uma estratégia de como viver melhor. O Evangelho não é uma lista de regras ou uma estratégia de como viver melhor. O Evangelho é uma notícia: Ele te amou primeiro, de graça. Deixe essa notícia bombástica descer para seu coração, até que ele corresponda, amando a Deus acima de todas as coisas.

Comentários

Comentários

Comentários

Comentários

© Copyright - JesusCopy