Todos nós temos algo em comum, nós amamos receber presentes não é mesmo?
E esses dias venho pensando em quantas coisas tenho vivido pelo favor de Deus. São muitos presentes que tenho recebido, e glória a Deus por isso, porque eu sei que não fiz nada para merecer, não fiz nada para estar vivendo tudo isso. Estou apenas experimentando da graça!

Ao mesmo tempo, nesses últimos dias confesso que foram dias onde fui inconstante na intimidade com o Pai, me peguei atarefado e acabei não administrando meu tempo da melhor forma. Acabei trocando dias que poderiam ser de intimidade com Deus por tarefas e entretenimento.
Então eu percebi que não importa o quanto de presente eu receba, se eu não tiver intimidade com Ele, de nada vale! Não importa o que estamos fazendo ou recebendo, sem Ele isso não satisfaz.

Com certeza você já viu uma criança recebendo um presente de um pai; ela se satisfaz tanto com o que recebe, que várias vezes acaba se esquecendo de até mesmo agradecer e conversar com o pai.
Mas a questão é: essa criança está satisfeita? Se depois de uns dias ela for receber mais um presente vai falar: “Obrigado pai, mas já estou feliz com o que tinha recebido. ” Óbvio que não, ela sempre quer mais e nunca vai ser o bastante.
Mas se esse pai a convidar para um passeio no parque, ela larga qualquer presente para estar junto dele.

Vejo isso na vida de Adão.

Ele recebeu o melhor e mais belo jardim que já existiu, planejado e construído por Aquele que criou tudo que existe.
Pare por alguns segundos e imagine a paisagem mais linda que você já teve a oportunidade de contemplar. Agora tente imaginar algo um milhão de vezes melhor e como dizem por aí, falhe miseravelmente! É difícil até mesmo imaginar a beleza que deveria ser aquele jardim no Éden. Ele comia o que queria, tinha a companhia de Eva, tinha os animais, a natureza o obedecia.
Se não fosse o bastante, no seu dia a dia não existia violência, dor, medo ou morte, ou seja, até ali Adão tinha a vida eterna.
Se tudo isso já não fosse bom, todos os dias Adão tinha intimidade com Deus.
Ou seja, Deus havia dado tudo que ele precisava para viver bem!

Ainda assim esses presentes não foram o bastante, pois em amor Deus o alertou que se ele comesse do fruto da árvore do conhecimento, certamente morreria.
E então chagamos no trágico capítulo 3 de Gênesis onde o pecado acontece.
E a minha questão é: Deus tinha falado que ele iria morrer se comesse. Adão desobedece a Deus e come. Ele morreu imediatamente? Ele engoliu o fruto e caiu morto? Não!
Mas como? Se Deus deixou claro que ele ia morrer se fizesse aquilo.
Entenda que para Deus, morte é não ter mais a vida Dele em nós!

Cara, Adão poderia ser arrancado do jardim, poderia ter que trabalhar para comer, poderia se machucar, sentir dor e ficar doente. Ainda assim, ele viveria de boa.
O que Adão perdeu de valor ali não foram os presentes, mas sim aquele quem o presenteava.
Como eu disse, morte para Deus é não ter a vida dEle em nós, e foi justamente isso que Adão perdeu: a intimidade.
E é justamente isso que se não tomarmos cuidado vamos deixando de lado. Vamos ganhando os presentes, porque Deus ama nos dar o que precisamos, mas ainda assim só existe vida, só existe satisfação verdadeira quando temos a Ele e não os “presentes”.
Pois Ele é o verdadeiro presente!

Deus abençoe você!
Arthur Marques

Comentários

Comentários

Comentários

Comentários

© Copyright - JesusCopy